O que é observabilidade e por que ela é importante para os negócios? 

A precisão do monitoramento de sistemas aumenta com a evolução tecnológica. O modelo tradicional oferece uma visibilidade limitada, dificultando a identificação e […]

18 julho, 2023
O que é observabilidade e por que ela é importante para os negócios? 

A precisão do monitoramento de sistemas aumenta com a evolução tecnológica. O modelo tradicional oferece uma visibilidade limitada, dificultando a identificação e a solução de erros. Por isso, é importante conhecer a observabilidade, uma abordagem nova que busca analisar, monitorar, rastrear e compreender a infraestrutura de processos para otimização dos negócios. 

Sendo assim, a observabilidade busca analisar, monitorar, rastrear e compreender a infraestrutura de processos, visando otimizar negócios. Em outras palavras, sua função consiste em coletar e analisar dados, contemplando a integridade e o desempenho de aplicações, bem como outras métricas de negócios relevantes. 

Com base nessas informações, elaboramos este texto para que você possa compreender o que é observabilidade e como sua aplicação pode ser importante para sua empresa.  

Siga lendo o material e confira! 

Afinal, o que é observabilidade?  

Para compreender o que é observabilidade, é importante ter em mente que ela não se restringe a aspectos como métricas, logs e rastreamentos. O monitoramento tradicional costuma se basear em séries temporais, números e métricas, mas a observabilidade é muito mais abrangente. Trata-se de uma visão ampliada, que incorpora o monitoramento como parte do processo e que vai além disso. 

Conforme os sistemas se tornam maiores, mais complexos e são utilizados por um número crescente de pessoas, novos desafios surgem. Em alguns casos, os usuários podem se sentir um pouco perdidos em meio ao que está acontecendo internamente no sistema. Nesse contexto, a observabilidade se revela indispensável para trazer à luz informações relevantes e claras sobre o que se passa ali. 

No entanto, a definição convencional de observabilidade, que consiste em inferir o estado interno de um sistema a partir de suas saídas externas, não é capaz de explicar todo o seu conceito. Esta definição pode ser útil para entender o que torna um sistema observável, mas não captura plenamente o significado da observabilidade em si.  

Então, como saber como ela funciona? Resumidamente, a observabilidade permite que as pessoas compreendam o comportamento de aplicativos e infraestruturas. Por exemplo, quando algo inesperado acontece em um programa, os usuários querem entender o porquê de isso ter ocorrido. 

A busca por essas informações requer o uso de diversas ferramentas, tecnologias, práticas, equipes e profissionais especializados. Dessa maneira, ao entender o que é observabilidade, percebe-se que essa é a sua essência: obtenção de insights e conhecimento sobre o que está acontecendo no sistema.  

Em suma, este conceito abrangente é essencial no atual cenário tecnológico, indo além do monitoramento convencional, visto que fornece uma visão mais profunda e detalhada do comportamento de sistemas complexos. 

Por que a observabilidade é importante?  

Em sistemas de TI distribuídos e interconectados, a interação entre os componentes é constante. Qualquer falha ou problema em um desses componentes pode afetar um outro elemento do sistema, mesmo que não haja uma relação direta aparente. 

 Com a constante evolução dos ambientes em nuvem, aplicativos interconectados, redes e dispositivos, uma única modificação é capaz de ter um impacto mais amplo e frequente.  É neste contexto que a observabilidade se torna crucial, pois permite identificar problemas, como uma rede lenta ou uma configuração equivocada de um dispositivo, por exemplo, e compreender como isso pode afetar outros componentes. Ou seja, enquanto o monitoramento serve para alertar sobre acontecimentos inesperados, a observabilidade permite detectar ocorrências inesperadas em tempo real. 

 Além disso, a observabilidade desempenha um papel fundamental na melhoria da experiência digital dos clientes. Ao fornecer serviços digitais, é possível utilizar os dados coletados para acompanhar as conversões e o uso, possibilitando que a organização tome decisões de negócios mais embasadas e, assim, aprimore a experiência dos usuários. 

Qual a relação entre monitoramento e observabilidade?  

Quando falamos em monitoramento e observabilidade, é importante compreender que esses conceitos estão interligados. Simplificando, a observabilidade é alcançada quando os dados do sistema a ser monitorado são disponibilizados, enquanto o monitoramento consiste em reunir essas informações.  

Uma vez que o sistema esteja observável e os dados são capturados através de uma solução de monitoramento, é essencial realizar uma análise abrangente desses dados, seja de forma automática ou manual. Se essa análise não for realizada de forma adequada, tanto a observabilidade quanto o monitoramento perdem a sua utilidade. Portanto, quanto mais avançadas forem as capacidades analíticas, mais valiosos serão os investimentos nessas metodologias. 

Apesar da sua popularidade atual, a observabilidade não é um conceito novo. Desde o início do processo de programação, é possível registrar logs que ofereçam informações úteis sobre o funcionamento de um software, tornando-o assim observável.  Além disso, é possível monitorar um ponto de extremidade de serviço sem torná-lo observável, através de chamadas periódicas e registro dos resultados – ainda que sejam de sucesso ou falha. Essa prática é conhecida como “Monitoramento Sintético”. 

Outra forma de monitoramento é através da observação da experiência do usuário, acompanhando o tempo de resposta e a disponibilidade de cada etapa que ele precisa executar em uma aplicação.  

Em resumo, o monitoramento tradicional acompanha a saúde básica de um componente ou sistema. A observabilidade evoluiu naturalmente para fornecer insights mais profundos sobre o comportamento de um sistema ao longo do tempo.  

Quando algo dá errado e sua equipe recebe um alerta, é preciso descobrir rapidamente: “O que aconteceu? Onde, quando, por que e quem devemos chamar?” Os dados de observabilidade ajudam a responder a essas perguntas.   

Quais são os pilares essenciais da observabilidade 

Já compreendemos o conceito de observabilidade. Entretanto, para alcançá-la, é imprescindível a implementação de três tipos de dados, conhecidos como os seus “pilares”. A seguir, exploraremos cada um deles em detalhes. 

Logs 

Os logs consistem em registros escritos de eventos específicos, que fornecem informações relacionadas a um fato, incluindo quando ele ocorreu. Eles apresentam especificidades como dados de data e hora e informações relevantes para análise.  

Há três tipos principais de logs: binários, estruturados e de texto simples. Apesar de os logs de texto simples sejam os mais comumente utilizados, os estruturados estão ganhando popularidade por conta da capacidade de adicionar metadados que permitem consultas. Os logs são, geralmente, a primeira fonte de informação quando há necessidade de investigar problemas no sistema. 

Métricas 

As métricas são valores numéricos acompanhados no decorrer do tempo e usados para mensurar o estado ou desempenho de uma aplicação. Elas trazem características como nomes, informações de data/hora e indicadores-chave de desempenho (KPIs).  

As métricas diferem dos logs por apresentarem uma estrutura padronizada e serem otimizadas para armazenamento. Ademais, são facilmente consultáveis e permitem que os analistas acompanhem as mudanças em um determinado elemento ao longo do tempo. 

Tracing 

O rastreamento envolve mapear a jornada de uma solicitação específica num sistema distribuído. Assim, são registrados os dados para cada operação realizada, também conhecida como “span”, à medida que ela percorre o sistema.  

Um rastreamento pode conter um ou vários spans, permitindo acompanhar o progresso da solicitação em um sistema de microsserviços e identificar possíveis gargalos ou causas de falhas. A combinação de registros, métricas e rastreamento, como parte de uma abordagem abrangente de observabilidade, ajuda a identificar falhas, compreender suas origens e resolvê-las de maneira eficiente. 

Quais os benefícios da observabilidade?  

As práticas de observabilidade também têm sido eficazes na redução de custos operacionais, pois aceleram o tratamento de condições adversas, diminuindo a quantidade de informações irrelevantes ou redundantes, e priorizando a notificação de eventos críticos. As melhorias são mais evidentes em operações empresariais maiores, nas quais as equipes amplas são necessárias. Além dessa vantagem, temos a seguinte lista abaixo: 

  • Compreensão da complexidade e interações dos sistemas. 
  • Detecção de problemas difíceis de identificar. 
  • Agilidade na resolução de problemas, reduzindo MTTI, MTTA e MTTR. 
  • Aumento da automação e redução da intervenção manual. 
  • Fornecimento de respostas para perguntas sobre os sistemas. 

Os usuários também relatam que as práticas de observabilidade fornecem dados úteis para a gestão de confiabilidade e desempenho, bem como no design de infraestrutura e seleção de ferramentas. Isso ocorre porque o foco em informações verdadeiramente críticas ajuda a identificar vulnerabilidades e corrigi-las por meio de alterações de configurações, design de aplicações e níveis de recursos. 

Como implementar a observabilidade na empresa?  

A implementação da observabilidade começa com a organização de um plano, passando por uma arquitetura e, por fim, chegando a uma plataforma de observabilidade. Seguir toda essa abordagem é fundamental para evitar desafios e complicações. 

 O plano de observabilidade, por sua vez, inicia com a identificação dos benefícios desejados e a descrição dos dados necessários para alcançá-los. É importante considerar não apenas os dados disponíveis por meio do monitoramento e telemetria, mas também informações que ainda não estão sendo coletadas.  

Já a arquitetura da observabilidade é uma representação diagramática da relação entre dados de origem e apresentação de informações. É preciso identificar todas as fontes de dados e as ferramentas que coletam e apresentam informações. 

Felizmente, há no mercado uma solução capaz de facilitar todo esse processo, diminuindo os riscos de possíveis erros.  Trata-se da plataforma de observabilidade como serviço (OaaS) Grafana, que traz expertise técnica para uma implementação de sucesso na sua empresa. 

A Grafana é a única plataforma de observabildiade integrável e adaptável às suas necessidades. Não importa se você esteja apenas começando com a observabilidade ou já tenha ferramentas implementadas. 

Benefícios da Grafana:

  • Unifique dados de mais de 100+ fontes externas de dados em um único painel para ganhar visibilidade total do stack, acompanhar as métricas SLI/SLO em tempo real e muito mais.  
  • Envie suas métricas locais do Prometheus, Graphite, InfluxDB, Datadog e outros para um backend comum no Grafana Cloud.  
  • Potencialize seu stack de dados integrado e correlacione as métricas com os logs e traces para obter insights acionáveis.  
  • Observabilidade com utilização intensiva de Machine Learning 

Se você quer saber mais sobre observabilidade acompanhe o blog da Vericode e fique por dentro deste e de outros assuntos importantes para a sua empresa. 

Compartilhe este artigo

Fale com a Vericode

Precisa de um especialista em criar soluções digitais para sua empresa? Agende um contato de negócios e fale com um Vericoder. Iremos lhe apresentar uma proposta de negócios atraente e de alto impacto.

Contato de negócios

Inscreva-se em nossa newsletter

Newsletter da Vericode sobre assuntos de engenharia de software de alto desempenho, metodologias de QA, testes e transformação digital.

Quero receber conteúdos exclusivos
pt_BRPT