Stress test: conheça como funciona e os diferentes tipos

A gestão de aplicações reserva desafios e complexidade que, nem sempre, são vistas com antecedência. Para isso, uma solução como os stress […]

12 dezembro, 2023
Stress test: conheça como funciona e os diferentes tipos

A gestão de aplicações reserva desafios e complexidade que, nem sempre, são vistas com antecedência. Para isso, uma solução como os stress tests é ideal para garantir a integridade e robustez de seus sistemas.

Muito mais do que meros avaliadores de capacidade, tratam-se na verdade de “lupas”, que revelam problemas ocultos e vulnerabilidades imperceptíveis. Assim, conduzem as empresas por uma jornada mais confiável em busca da otimização nos processos e confiabilidade em sua infraestrutura de desenvolvimento.

Aqui, vamos desvendar mais sobre o conceito dos stress tests, entender sua essência estratégica e técnica, bem como descobrir como seu uso pode ser o propulsor da inovação contínua. Vamos lá?

O que são Stress Tests?

Os stress tests são metodologias rigorosas empregadas para avaliar a resistência e adaptabilidade de sistemas e aplicações sob condições extremas e adversas.

Seu objetivo principal é simular um ambiente hostil, saturando o sistema com uma avalanche de solicitações e cargas de trabalho, para entender suas limitações, identificar pontos de falha e assegurar que ele possa operar eficientemente em cenários de alta pressão.

Esse tipo de teste é essencial para garantir que aplicações e sistemas não apenas sobrevivam, mas também prosperem e mantenham um desempenho ótimo.

Assim, empresas asseguram a continuidade dos negócios e a satisfação do usuário final.

Stress Test: entenda a sua importância e como funciona

Ok, mas por que esses testes são cruciais? Falamos da linha de defesa de uma empresa contra falhas críticas em aplicações.

Eles asseguram um funcionamento otimizado dos sistemas — mesmo quando submetidos a workloads pesados e condições extremas.

Tais testes previnem interrupções e ineficiências, economizando recursos valiosos e mantendo a integridade do sistema.

Ok, mas como eles funcionam?

Vamos para a parte prática: ao simular um ambiente de operação saturado, esses testes revelam como o sistema responde e se adapta, permitindo uma avaliação aprofundada de sua resistência e eficiência.

Identificar e mitigar pontos de vulnerabilidade é essencial para garantir um desempenho confiável e consistente, contribuindo para a estabilidade geral e a confiança do usuário.

Leia mais sobre Testes de Carga e Stress!

Stress Test x Teste de Carga x Testes de desempenho: conheça as diferenças

Já que falamos sobre testes, a capacidade de diferenciar entre aqueles focados em Stress, Carga ou Desempenho é fundamental.

Afinal, cada um tem um objetivo específico, e compreender tais nuances é crucial para aplicar a abordagem correta na avaliação e otimização de sistemas e aplicações.

Para simplificar seu entendimento, preparamos uma tabela que os diferencia por objetivo e enfoque, veja só:

Tipo de TesteObjetivoEnfoque
Stress de TestAvaliar o comportamento sob condições extremas e inusitadas.Limites e robustez do sistema.
Testes de CargaAvaliar a performance sob uma carga específica de trabalho.Eficiência e escalabilidade do sistema.
Testes de DesempenhoAvaliar a performance global sob uma variedade de condições.Comportamento e capacidade de resposta do sistema.

Ok, mas talvez você se pergunte: “em quais cenários tais testes seriam aplicados?

Separamos alguns exemplos que podem esclarecer essa questão, confira:

Stress Test

Testes de Carga

  • Situação: Uma rede social deseja lançar uma nova funcionalidade em seu app que permite aos usuários organizarem lives.
  • Aplicação: Os engenheiros realizam testes simulando um número específico de usuários em livestream simultaneamente, para garantir que a nova funcionalidade opere de maneira fluida e sem atrasos.

Testes de Desempenho

  • Situação: Uma universidade lança um app de ensino a distância e espera uma quantidade diversificada de acessos, desde estudantes a profissionais.
  • Aplicação: Os engenheiros avaliam como o sistema se comporta sob diferentes condições, como número variado de usuários, diferentes horários do dia e tipos variados de conteúdo acessado, para garantir que a aplicação funcione bem em todas as condições previstas.

Os diferentes tipos de stress test

Agora, quando o assunto são stress tests, é essencial compreender o seguinte aspecto: na engenharia de aplicações, não existe apenas uma maneira de ‘estressar‘ componentes de softwares e hardwares.

Vamos explicar um por um, veja só:

Stress test de infraestrutura

Esse teste foca na sua infraestrutura de TI, como servidores, bancos de dados e redes.

Por exemplo, em um ambiente de nuvem, seria possível sobrecarregar a infraestrutura ao simular um aumento drástico no tráfego, analisando, portanto, a forma que a rede reage à escalabilidade, a latência e a capacidade de manter serviços críticos funcionando.

Um exemplo?

Pense em um banco que realiza testes na infraestrutura simulando um ataque DDoS massivo.

O objetivo é avaliar a resiliência e a capacidade de resposta do sistema, garantindo que as transações dos clientes não sejam afetadas.

Stress test de hardware

Foca nos componentes físicos, como CPU, memória e discos.

Pode incluir a simulação de falhas de hardware, superaquecimento ou problemas de conexão.

Vamos a um exemplo:

Uma empresa de games poderia simular situações em que suas GPUs são utilizadas ao máximo, verificando a performance e a dissipação de calor dos componentes, garantindo que não ocorrerão falhas durante o uso intenso e prolongado.

Stress test de software

Estes testes são direcionados a aplicativos e sistemas operacionais, focando em como o software se comporta sob condições extremas, como carga pesada, dados corruptos ou perda de conectividade com o banco de dados.

Pense em um aplicativo de entregas delivery, cujo teste de software poderia ser a inserção de dados corruptos ou incompletos nos pedidos.

Assim, engenheiros podem verificar como o sistema se comporta, se é capaz de identificar, rejeitar ou corrigir automaticamente os dados.

Stress Test de Disaster Recovery

Neste caso, falamos de Testes projetados para validar o plano de recuperação de desastres de uma organização, garantindo que os sistemas possam ser restaurados com sucesso após um desastre.

Voltando ao cenário do e-commerce, ele poderia simular um desastre, como a falha completa do data center, para testar a eficácia de seus procedimentos de backup e recuperação, garantindo a continuidade do negócio.

Veja como otimizar a eficiência da sua empresa com SRE e Observabilidade!

Conclusão

Essa foi uma viagem breve, mas completa sobre o território dos Stress Tests.

Nesse artigo, falamos sobre os diversos tipos, desde a infraestrutura até a recuperação de desastres, cada um com seu próprio conjunto de desafios e focos.

Além disso, vimos a diferença para outros testes importantes para a TI.

Mas… Por que entender o tema é crucial? Porque nos prepara para o inesperado, fortalecendo sistemas contra as ameaças e vulnerabilidades do mundo digital.

Pergunta rápida: Você sente que sua equipe e sistemas estão verdadeiramente preparados para enfrentar condições extremas?

Se você hesitou em responder, talvez seja a hora de revisitar e revitalizar suas estratégias de stress test.

Agora, imagine complementar essas estratégias robustas com testes automatizados eficientes… Intrigado(a)?

Descubra como os testes automatizados podem aprimorar ainda mais a resiliência e a eficácia de seus sistemas.

Compartilhe este artigo

Fale com a Vericode

Precisa de um especialista em criar soluções digitais para sua empresa? Agende um contato de negócios e fale com um Vericoder. Iremos lhe apresentar uma proposta de negócios atraente e de alto impacto.

Contato de negócios

Inscreva-se em nossa newsletter

Newsletter da Vericode sobre assuntos de engenharia de software de alto desempenho, metodologias de QA, testes e transformação digital.

Quero receber conteúdos exclusivos
pt_BRPT